• Kátia Boroni

The Harris´s Hawk Revolution

Atualizado: Out 21



“We call it a revolution”

É assim que os autores Jennifer e Tom Coulson começam seu livro The Harris’s Hawk revolution. O gavião asa de telha (parabuteo) é a ave responsável por modernizar a falcoaria mundial, e muda-la radicalmente. Sua natureza sociável mudou a forma do falcoeiro ir ao campo, permitindo agora ir com seus amigos e voarem suas aves juntas. A inteligência da espécie, aliada ao seu generalismo, permite o uso de diversas estratégias de caça e também um amplo leque de presas. A facilidade do seu treinamento é outro ponto que facilitou o ingresso de novatos na arte. Definitivamente, o gavião asa de telha é a ave mais importante e mais popular da falcoaria do século XXI. E para aprendermos mais sobre ela, começo hoje uma série de textos onde resumo partes importantes desta obra que é fundamental para qualquer iniciante na falcoaria. Boa leitura a todos!

Características que tornam esta espécie especial

Vantagens


Comportamento social: O falcoeiro se torna um membro do grupo , esteja ele caçando com uma ave ou mais.

Lealdade: uma vez que o parabuteo te aceita no seu grupo de caça, ele se torna um companheiro leal que realmente gosta de caçar com você

Inteligencia: Extremamente inteligente, não demanda muito tempo no seu treinamento.

Convivência: ele aceita bem outras aves da mesma espécie, assim como outros falcoeiros e expectadores. Com isso é possível ir ao campo com outros falcoeiros e voar vários gaviões juntos. Com o devido treinamento, ele também aceita bem cavalos, cães e ferrets como membros do seu grupo de caça.

Temperamento: quando comparados a outras espécies usadas na falcoaria, eles são excepcionalmente mansos e aceitam bem o cativeiro. A espécie tem uma janela de imprinting relativamente longa, permitindo assim que o falcoeiro seja incluído no seu grupo de caça. O temperamento manso possui elementos genéticos e ambientais. Aves passageiras que permanecem nervosas após várias seções de treinamento possivelmente não são geneticamente mansas.

Fácil manejo: Não necessitam serem pesados duas vezes ao dia, fazer imping, usar capuz ou protetor de cauda. Por isso, seu manejo é mais rápido e exige menos esforço.

Persistência: a maioria tem “sangue nos olhos”. Não desistem da presa, sua motivação é excepcional. Ele também aceita bem a troca, assim como tem vontade de caçar várias presas na mesma seção de caça. Quando bem treinado ele aceita receber apenas uma pequena recompensa pela captura e já inicia um novo ataque.

Plumagem: suas penas são uma benção para o falcoeiros, já que são incrivelmente maleáveis pois são adaptadas ao ambiente desértico, cheio de arbustos espinhosos. Raramente é necessário fazer imping ou usar um protetor de cauda.

Altas temperaturas: ele é bem adaptado a altas temperaturas e clima tropical. Ele consegue caçar com uma média de temperatura entre 21 a 43ºC.

Não migratório: o falcoeiro pode caçar em dias quentes e com vento forte durante a época de migração, sem temer que sua ave vá embora.

Para todos: Esta espécie nivelou a falcoaria mundial, agora não importa se você é rico ou pobre, tem um emprego de tempo integral ou é aposentado. Sua versatilidade, temperamento dócil, e manejo fácil em cativeiro o tornaram a primeira escolha para muitos falcoeiros. O falcoeiro não precisa de milhares de equitares para praticar a falcoaria, podendo caçar em espaços relativamente pequenos. Você pode ser um falcoeiro de fim de semana e ter um bom nível de sucesso. Se seu estilo de caça é não-convencional, tais como o carhawking ou noturna, é a ave perfeita para você.

Desvantagens

Clima frio – Não são adaptados a temperaturas muito baixas

Lesões: ele é implacável nas perseguições, o que pode gerar mais lesões, especialmente fraturas, do que nos red-taileds, por exemplo.

Inteligentes até demais: sua inteligência pode ser um problema quando ele fica entediado. Eles precisam de estimulo, e quando não tem podem se auto mutilar arrancando suas penas. Muitas vezes ele aprende um comportamento por ter sido recompensado apenas uma vez, por isso cuidado para não recompensar (conscientemente ou não) comportamentos indesejados.

Fácil até demais: Muitos falcoeiros acham que caçar com um parabuteo é fácil demais, e por isso desprezam a espécie. Muitos falcoeiros apenas caçam do punho, mas ele permite inúmeras estratégias, então seja criativo.

Algumas características importantes

Cooperação

Um dos aspectos mais intrigantes desta espécie são seus hábitos de caçar e de se reproduzir cooperativamente. Estes comportamentos criaram uma ave que parece predestinada a cooperar com os humanos. Na verdade, o parabuteo só se compara com o Gálapagos hawk (buteo galapagoensis) em termos de grau de sociabilidade. A sua cooperação na caça o compara aos lobos. A estrutura social do asa de telha inclui um sistema reprodutivo cooperativo, com monogamia e poligamia, ajudantes, um abandono do ninho tardio, uma hierarquia de dominância, caça cooperativa e a formação de agregações de grupos fora da temporada reprodutiva.

Os estudos citados nesta obra são sobre a subespécie parabuteo unicinctus harrisi, são poucos os estudos da subespécie que temos no Brasil, o parabuteo unicinctus unicinctus. Parece que a espécie do norte (p.u.harrisi) é mais cooperativa do que a do sul (p.u.unicinctus), contudo mais estudos são necessários. De acordo com Dr. Leo Fukui, no estado do Rio de Janeiro os parabuteos são avistados normalmente sozinhos, em pares, ou pares com seus filhotes (1 a 3 juvenis). Jiménez e Jaksié (1993) estudaram a espécie p.u. unicinctus no Chile e não observaram nenhum comportamento cooperativo de caça ou reprodução. Porém outros estudos sugerem que as espécies sulistas podem ocasionalmente viver e caçar em grupos, de acordo com Santander et al (2011). Mesmo que a subespécie sulista provavelmente não seja regularmente social em vida livre, é possível a caça em copla quanto o treinamento é feito de forma adequada.

“we maintain that the main reason for cooperative hunting (and sociality) in Harri´s Hawks is the increase in hunting success with group size in challenging habitats."

Mantemos que a principal razão para a caça cooperativa (e sociabilidade) nos Gaviões asa de telhas é o aumento do sucesso na caça devido ao tamanho do grupo em ambientes desafiadores.

Reprodução

É possível que as espécies do norte reproduzam mais cedo do que as espécies do sul, porém mais estudos são necessários. Dois Brasileiros são citados neste tema:

“Dr. Leo Fukui reports that some wild Hawks of the Southern subspecies have been observed breeding in one of the subadult plumages, but not in juvenile plumage. In captivity, two of Fukui´s two-year-old males would mount females but then not copulate with them. Both of these males copulated successfully when 3 years old. Frederick Pallingers knew of a few instances where captives (both sexes) bred at age 2 For both the northern and southern subspecies, most males breed at age 3 and females at age4. P. 22

"Dr. Leo Fukui relata que alguns gaviões selvagens da subespécie sulista foram observados reproduzindo com uma das plumagens de subadultos, mas não na plumagem juvenil. Em cativeiro, dois dos machos de dois anos de idade do Fukui cobriram as fêmeas, mas depois não copularam com elas. Ambos os machos copularam com êxito aos 3 anos de idade. Frederick Pallinger soube de alguns casos em que gaviões de cativeiro (ambos os sexos) reproduziram com 2 anos de idade. Para ambas as subespécies do norte e do sul, a maioria dos machos da espécie reproduz aos 3 anos e as fêmeas com 4 anos.

Muda

Na espécie do norte a muda de juvenil para o segundo ano ou para a plumagem de adulto usualmente começa por volta de 12 meses de idade e é completada com 17-18 meses. A voz também muda dramaticamente durante este tempo, de um tom alto para um baixo. Nas espécies do sul, a plumagem adulta definitiva não é alcançada até o quarto ou quinto ano.

Conclusão


“we conclude that the Harris´ Hawk´s preternatural fit to falconry is founded in its unique ecological adaptations. The Harris Hawk has a multitude of adaptive traits which have proved useful in falconry. Whether you hunt a single hawk, cast or group, or with the aid of ferrets or dogs, these traits will greatly enhance your falconry such that you will be ahead of the game compared to other species. Those who endeavor to hunt qith a cast or group will find a new dimension of action-packed falconry. Falconry across the globe is more enriched, exciting, and productive thanks to this revolutionary newcomer.”

"Nós concluímos que o ajuste pré-natural do gavião asa de telha para a falcoaria é fundado em suas adaptações ecológicas particulares. Um asa de telha tem uma infinidade de características adaptativas que provaram ser úteis na falcoaria. Se você caçar com um gavião, em copla, ou em grupo, ou com a ajuda de furões ou cães, essas características irão melhorar muito a sua falcoaria tal que você estará à frente da presa em comparação à outras espécies. Os que se esforçam para caçar com uma copla ou grupo irão encontrar uma nova dimensão da falcoaria, cheia de ação. A Falcoaria em todo o mundo é mais rica, excitante e produtiva graças a este recém-chegado revolucionário ".

Por enquanto é só, fiquem ligados para os próximos resumos!

Abraços,

Kátia Boroni.

Referência:


The Harris's Hawk Revolution. By Jennifer and Tom Coulson. Parabuteo Publishing, L.L.C.

http://www.harrishawkrevolution.com/

#parabuteo #diariodefalcoaria #falcoaria #falconryjournal #jornalismofalcoeiro #falcoaria #hawks #gaviões #falcoes #águias #cetrería #hawking #harrishawk #parabuteos

41 visualizações

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved