• Kátia Boroni

Corujas do Brasil: Entrevista com os autores Jefferson Silva e Luiz Ribenboim

Atualizado: Out 21




DOWNLOAD PDF - Português * English * Español

As corujas são aves fascinantes, desde a antiguidade habitam o imaginário humano e são consideradas tanto como símbolo da sabedoria, como portadoras do mau agouro. Para ajudar a desmistificar a visão que alguns ainda tem delas como vilãs, contribuindo assim na educação ambiental, foi lançado recentemente o livro “Corujas do Brasil”.

O livro Corujas do Brasil é uma obra importantíssima, há poucas publicações sobre as aves de rapina no Brasil, especialmente sobre as corujas, as rainhas da noite. Com textos de Gloria Castiglioni, Luiz Pedreira Gonzaga e Norton Santos, o livro traz informações sobre 22 das 23 espécies registradas até o momento no Brasil. Ao longo de suas 112 páginas, aprendemos as características de cada espécie, sua distribuição geográfica, voz, comportamento, reprodução, habitat, dieta e status de conservação.

O livro é ricamente ilustrado com fotos de Jefferson Silva, Luiz Ribendoim, Norton Santos e amigos que incluem Roberto Torrubia, Wagner Coppede, Gustavo Pinto entre outros. A linguagem é acessível a todos, de leigos a especialistas, e já se tornou uma obra de referência a estudiosos e apaixonados pelas corujas em geral. Para sabermos mais sobre esta obra, entrevistei Jefferson Silva e Luiz Ribenboim para os sites Diário de Falcoaria e Corujando por aí.

Jefferson Silva


Mineiro, atualmente morando em Porto Alegre/RS, foi o responsável pela criação do primeiro site de fotografias de aves do Brasil, o Aves Brasil, e da revista Passarinhando. Formado em Ciências da Computação, atualmente trabalha em um Instituto de P&D na cidade de Porto Alegre/RS. Atua como gerente responsável pela unidade de Porto Alegre, e tem como hobby a atividade de Observação e Fotografia de Aves já há quase 15 anos.

Luiz Ribenboim

Luiz Ribenboim é advogado, e trabalhou ajudando o seu pai em sua empresa enquanto ele era vivo. Hoje aos 63 anos de idade, ele se dedica às suas paixões, e ao mesmo deseja ser útil à sociedade. Sua paixão por fotografar aves começou em 2006, e ele já publicou vários livros, entre eles Beija Flores do Brasil, com Edson Endrigo, e agora o Corujas do Brasil.

Entrevista com Jefferson Silva e Luiz Ribendoim

Como surgiu a ideia de escrever um livro só sobre as corujas? Como vocês avaliam a importância desta obra, e quais foram os seus objetivos ao escrevê-la?


[Jefferson] Bom, eu tinha o sonho de um dia publicar um livro sobre todas as corujas do Brasil. O Luiz já tinha publicado outros livros, e aí ele me convidou, assim como outros amigos, para juntos trabalharmos na criação e publicação deste livro Corujas do Brasil. Eu pessoalmente vejo como um trabalho de divulgação sobre todas as nossas corujas, e de certa forma, educativo, pois há muitos mitos ainda que cercam as corujas. O livro permitirá ao leitor conhecer todas as espécies, com dados sobre a biologia de cada espécie, além de belas fotos.

[Luiz] Na verdade eu tive um objetivo principal, que era retribuir ao Jefferson Silva um pouco do que ele fez pela observação de aves do Brasil, criando e cuidando do site Aves Brasil, onde conheci muitos amigos entre 2006 e 2008 e aprendi bastante. Eu sabia que o Jefferson tinha o sonho de fazer esse livro um dia, e então dei uma mãozinha. Acho que a importância da obra é ser mais um livro que mostra todas as espécies de uma família de aves do nosso pais.

Qual o público alvo desta obra? Ela é dirigida aos especialistas ou ao público leigo?

[Jefferson] Aos dois. Já estamos vendendo o livro e já vejo entre os compradores, tanto leigos quanto o pessoal da área de observação e fotografia de aves.

[Luiz] Acho que tanto os especialistas como o publico leigo podem vir a apreciar o livro. Eu particularmente penso mais no publico leigo, que não conhece direito ainda a riqueza da nossa avifauna. E também por que esse publico leigo é muito maior que os que tem conhecimento. Então, para que possamos pensar em conservação ambiental, é necessário fazer a população conhecer o que temos no nosso pais, e com isso criar uma opinião publica mais favorável à preservação do meio ambiente.

As corujas possuem uma dicotomia: são consideradas símbolo da sabedoria, mas também são vistas como portadoras de mau agouro. Em sua opinião, o preconceito ainda é muito forte no Brasil, em relação às corujas? Como podemos diminuir este preconceito?


[Jefferson] Eu entendo que ainda há um preconceito, ainda ouvimos casos de agressão. Infelizmente o preconceito, e principalmente a falta de informação, são as causas desse comportamento de algumas pessoas. O que precisa ser feito é a divulgação. E espero que o livro possa atingir o máximo de pessoas, servindo como um material de educação ambiental.

[Luiz] Exatamente levando o conhecimento da beleza e utilidade das corujas para o meio ambiente e para o ser humano. Mostrando que a coruja pode ser uma aliada, pois se alimenta de roedores, inclusive nas cidades. E desmistificando superstições de que seu canto prenuncia morte na família de quem a escuta.

Quais foram as maiores dificuldades enfrentadas para a conclusão do livro?

[Jefferson] Bom, como reunimos amigos apaixonados por corujas, eu diria que não foi difícil conseguir os especialistas para escrever sobre cada espécie, assim como conseguir as fotos. Difícil foi chegar nas fotos, a partir de várias que tínhamos para escolher. Acho que o maior trabalho foi garantir que o livro não tivesse erro, um trabalho minucioso de revisão de cada detalhe do livro.

[Luiz] Felizmente não houve dificuldade relevante.

Como foram organizadas as corujadas para realizarem os registros fotográficos? Qual espécie foi a mais difícil de conseguir um registro para o livro?


[Jefferson] Bom, todos nós já tínhamos fotos de várias espécies, não fizemos corujadas específicas para o livro. Foi mais um trabalho de selecionar as fotos entre as que tínhamos. Eu diria que a espécie mais difícil de ser vista/fotografada é a corujinha-de-roraima (Megascops guatemalae), por ocorrer em um local extremamente remoto do país.

[Luiz] Não foi preciso organizar corujadas para o livro. O grupo de amigos convidados tinha quase todas as fotos. E uma ou duas que não tínhamos conseguimos facilmente com outros fotógrafos.

Quais espécies correm maior risco de extinção?


[Jefferson] Olha, de acordo com o site Aves de Rapina Brasil não há dados suficientes sobre o grau de risco que as corujas correm. Então, das 22 espécies do livro, 20 são classificadas com o grau "Pouco preocupante", uma não tem classificação, e uma, a coruja-listrada (Strix hylophila), é classificada como "Quase ameaçada", o segundo grau de risco dentre os 7 graus existentes.

Qual mensagem vocês gostariam de deixar para os apaixonados por corujas?


[Jefferson] Eu deixaria uma mensagem não só para os apaixonados por corujas, mas pela vida selvagem e natureza de forma geral: ajudem na divulgação e na educação ambiental. Se nós que amamos a natureza pudermos ensinar, um pouquinho que seja, estaremos fazendo nosso trabalho para preservação.

[Luiz] A mensagem é que as corujas são pássaros incríveis, carinhosos com seus parceiros ( há fotos no livro que mostram isso ). Tem grande utilidade para o ser humano, alimentando-se de ratos, cobras entre outros animais. Não são de forma alguma agourentos, como ainda hoje se acredita no interior do Brasil. E uma boa corujada é um dos momentos emocionantes que valem a pena ser vividos!


Livro Corujas do Brasil

112 páginas – Valor R$ 35,00 reais mais envio

Pedidos pelo e-mail:

jeff.corujasdobrasil@gmail.com


Leia também a entrevista de Gustavo Pinto,

e o seu projeto Mocho dos Banhados,

na revista digital gratuita do

Corujando por ai, download aqui.


Owls of Brazil: Interview with the authors Jefferson Silva and Luiz Ribenboim

Owls are fascinating birds, since ancient times they inhabit the human imagination and are considered both as a symbol of wisdom and as bearers of evil omens. To help demystify the vision that some still have of owls as villains, thus contributing to environmental education, the book "Corujas do Brasil" (Owls of Brazil) has recently been launched.

The book Corujas do Brasil is a very important work, there are few publications on the birds of prey in Brazil, especially on the owls, the queens of the night. With texts by Gloria Castiglioni, Luiz Pedreira Gonzaga and Norton Santos, the book provides information on 22 of the 23 species recorded so far in Brazil. Throughout its 112 pages, we learn the characteristics of each species, its geographic distribution, voice, behavior, reproduction, habitat, diet and conservation status.

The book is richly illustrated with photos of Jefferson Silva, Luiz Ribendoim, Norton Santos and friends including Roberto Torrubia, Wagner Coppede, Gustavo Pinto among others. The language is accessible to all, from specialists to the general public, and has already become a work of reference to scholars and owllovers in general. To find out more about this book, I interviewed Jefferson Silva and Luiz Ribenboim for the websites Diário de Falcoaria and Corujando por aí.


Jefferson Silva

Brazilian, from the state of Minas Gerais, but currently living in Porto Alegre/RS, he was the responsible for the creation of the first bird photography site in Brazil, Aves Brasil, and the magazine Passarinhando. Graduated in Computer Science, he currently works at a R & D Institute in the city of Porto Alegre/RS. He acts as a manager responsible for the unit of Porto Alegre, and has had the hobby for bird watching and photography for almost 15 years.


Luiz Ribenboim

Luiz Ribenboim is a lawyer, and worked helping his father in his company while he was alive. Today at 63 years of age, he is dedicated to his passions, and at the same time wishes to be useful to society. His passion for bird photography began in 2006, and he has published several books, among them Beija Flores do Brasil, with Edson Endrigo, and now Corujas do Brasil.

Interview

How did you come up with the idea of writing a book about owls? How do you evaluate the importance of this work, and what were your goals in writing it?


[Jefferson] Well, I had the dream of one day publishing a book about all the owls species in Brazil. Luiz had already published other books, and then he invited me, as well as other friends, to work together on the creation and publication of this “Corujas do Brasil”. I personally see it as a publicity work on all our owls, and in a way as an educational tool, as there are many myths still surrounding the owls. The book will allow the reader to know all species, with data on the biology of each species, as well as beautiful photos.

[Luiz] Actually I had a main goal, that was to return to Jefferson Silva a little of what he did for bird watching in Brazil, creating and taking care of the website Aves Brasil, where I met many friends between 2006 and 2008, and learned a lot. I knew Jefferson had the dream of doing this book one day, and then I helped him. I think the importance of the work is to be another book that shows all the species of a family of birds of our country.

What is the target audience for this work? Is it aimed at specialists or the general public?

[Jefferson] To both. We are already selling it, and I see among the buyers both general public and specialists from the area of bird observation and photography.

[Luiz] I think that both the experts and the general public may appreciate the book. I particularly think more in the general public, who does not yet know the richness of our birdlife. And also because this general public is much larger in number than those who have knowledge about birds. So, if we think about environmental conservation, it is necessary to make the population know what we have in our country, and with this to create a public opinion more favorable to the preservation of the environment.

Owls have a dichotomy: they are considered symbols of wisdom, but they are also seen as carriers of bad omen. In your opinion, is prejudice still very strong in Brazil in relation to owls? How can we reduce this prejudice?


[Jefferson] I understand that there is still prejudice, we still hear cases of aggression. Unfortunately prejudice, and especially the lack of information, are the causes of this behavior of some people. What needs to be done is the disclosure. And I hope the book can reach the maximum number of people, contributing as an environmental education material.

[Luiz] Exactly bringing knowledge of the beauty and usefulness of owls to the environment and to the human being. Showing that the owl can be an ally, because it feeds on rodents, even in the cities. And demystifying superstitions that its scream foreshadows death in the family of who listens to it.

What were the biggest difficulties you faced in completing the book?

[Jefferson] Well, as we gathered friends who are passionate about owls, I would say it was not difficult to get the experts to write about each species, as well as to get the photos. The difficulty was to choose the photos, from several we had available. I think the biggest effort was to make sure the book had no mistakes, a painstaking job of reviewing every detail of the book.

[Luiz] Fortunately there was no relevant difficulty.

How were the corujadas (owl watching tours) organized to carry out the photographic records?


[Jefferson] Well, we've all had photos of various species, we didn´t organize any owl watchings. It was more a job of selecting the photos among the ones we had. I would say that the most difficult species to be seen / photographed is the Roraima screech owl (Megascops guatemalae), because it occurs in an extremely remote place of the country.

[Luiz] It was not necessary to organize owl sightings for the book. The group of invited friends had almost all the photos. And one or two we didn´t have we could get easily with other photographers.

Which species are most at risk of extinction?


[Jefferson] Well, according to the site Aves de Rapina Brasil there is not enough data on the degree of risk that the owls are facing. So, of the 22 species in the book, 20 are classified as "Least concern", one has no classification, and one, the striped owl, is classified as "Near threatened", the second degree of risk among the existing 7 degrees .

What message would you like to leave for those who love owls?

[Jefferson] I would leave a message not only for those who love owls, but for wildlife and nature in general: help promoting the environmental education projects. If we who love nature can teach, as little as possible, we will be doing our work for preservation.

[Luiz] The message is that the owls are incredible birds, affectionate with their partners (there are photos in the book that show this). Owls are extremely useful for humans, as they feed on rats, snakes and other animals. They are by no means ominous, as it´s still believed in the countryside of Brazil. And a good owl watching is one of the exciting moments that are worth living!


Book Corujas do Brasil

112 pages – Price: R$ 35,00 reais plus shipping

orders by e-mail: jeff.corujasdobrasil@gmail.com


Also read the interview of Gustavo Pinto, and his project Mocho dos Banhados, in the free digital magazine Corujando por ai, download here. Text in English, Spanish and Portuguese in the same pdf.


Corujas do Brasil: Entrevista con los autores Jefferson Silva y Luiz Ribenboim

Los búhos son aves fascinantes, desde la antigüedad habitan el imaginario humano y se consideran tanto como símbolo de la sabiduría, como portadores del mal agüero. Para ayudar a desmitificar la visión que algunos todavía tienen de villanos, contribuyendo así en la educación ambiental, fue lanzado recientemente el libro "Corujas do Brasil” (Búhos de Brasil).

El libro Corujas do Brasil es una obra muy importante, hay pocas publicaciones sobre las aves de rapiña en Brasil, especialmente sobre los búhos, las reinas de la noche. Con textos de Gloria Castiglioni, Luiz Pedreira Gonzaga y Norton Santos, el libro trae informaciones sobre 22 de las 23 especies registradas hasta el momento en Brasil. A lo largo de sus 112 páginas, aprendemos las características de cada especie, su distribución geográfica, voz, comportamiento, reproducción, hábitat, dieta y estado de conservación.

El libro es ricamente ilustrado con fotos de Jefferson Silva, Luiz Ribendoim, Norton Santos y amigos que incluyen a Roberto Torrubia, Wagner Coppe, Gustavo Pinto entre otros. El lenguaje es accesible a todos, al publico general hasta a los especialistas, y ya se ha convertido en una obra de referencia a estudiosos y apasionados por los búhos. Para saber más sobre esta obra, entrevisté a Jefferson Silva y Luiz Ribenboim para los sitios Diario de Falcoaria y Corujando por aí.

Jefferson Silva


Brasileño de la provincia de Minas Gerais, actualmente viviendo en Porto Alegre/RS, fue el responsable por la creación del primer sitio de fotografías de aves de Brasil, el Aves Brasil, y de la revista Passarinhando. Formado en Ciencias de la Computación, actualmente trabaja en un Instituto de P&D en la ciudad de Porto Alegre/RS. Actúa como gerente responsable de la unidad de Porto Alegre, y tiene como hobby la actividad de Observación y Fotografía de Aves desde hace casi 15 años.

Luiz Carlos da Costa Ribenboim


Luiz Ribenboim es abogado, y trabajó ayudando a su padre en su empresa mientras él era vivo. Hoy a los 63 años de edad, él se dedica a sus pasiones, y al mismo tiempo desea ser útil a la sociedad. Su pasión por fotografiar aves comenzó en 2006, y él ya publicó varios libros, entre ellos Beija Flores de Brasil, con Edson Endrigo, y ahora el Corujas do Brasil.

¿Cómo surgió la idea de escribir un libro sólo sobre los búhos? ¿Cómo evalúan la importancia de esta obra, y cuáles fueron sus objetivos al escribirla?

[Jefferson] Bueno, yo tenía el sueño de un día publicar un libro sobre todos los búhos de Brasil. Luiz ya había publicado otros libros, y ahí él me invitó, así como a otros amigos, a trabajar juntos en la creación y publicación del libro Corujas do Brasil. Yo personalmente veo como un trabajo de divulgación sobre todos nuestros búhos, y de cierta forma, educativo, pues hay muchos mitos que aún rodean a los búhos. El libro permitirá al lector conocer todas las especies, con datos sobre la biología de cada especie, además de bellas fotos.

[Luiz] En realidad tuve un objetivo principal, que era retribuir a Jefferson Silva un poco de lo que él ha hecho por la observación de aves en Brasil, creando y cuidando del sitio Aves Brasil, donde conocí a muchos amigos entre 2006 y 2008. Yo sabía que Jefferson tenía el sueño de hacer ese libro un día, y entonces le ayudé. Creo que la importancia de la obra es ser más un libro que muestra todas las especies de una familia de aves de nuestro país.

¿Cuál es el público objetivo de esta obra? ¿Está dirigida a los especialistas o al público general?

[Jefferson] A los dos. Ya estamos vendiendo el libro y ya veo, entre los compradores, tanto el público general cuanto el personal del área de observación y fotografía de aves.


[Luiz] Creo que tanto los especialistas como el público general pueden apreciar el libro. Yo particularmente pienso más en el público general, que no conoce todavía la riqueza de nuestra avifauna. Y también por qué ese público general es mucho mayor de los que tiene conocimiento. Entonces, para que podamos pensar en conservación ambiental, es necesario hacer que la población conozca lo que tenemos en nuestro país, y con ello crear una opinión pública más favorable a la preservación del medio ambiente.

Los búhos poseen una dicotomía: se consideran símbolo de la sabiduría, pero también se ven como portadoras de mal agüero. En su opinión, ¿el prejuício todavía es muy fuerte en Brasil, en relación a los búhos? ¿Cómo se puede disminuir este prejuicio?

[Jefferson] Entiendo que todavía hay prejuicio, todavía oímos casos de agresión. Desafortunadamente el prejuicio, y principalmente la falta de información, son las causas de este comportamiento de algunas personas. Lo que hay que hacer es la divulgación, y espero que el libro pueda alcanzar al máximo número de personas, sirviendo como un material de educación ambiental.


[Luiz] Exactamente llevando el conocimiento de la belleza y utilidad de los búhos para el medio ambiente y para el ser humano. Hay que mostrar que las lechuzas y búhos pueden ser aliados, pues se alimentan de ratones, incluso en las grandes ciudades. Además, desmitificando supersticiones de que su canto proclama muerte en la familia de quien la escucha.

¿Cuáles fueron las mayores dificultades enfrentadas para la conclusión del libro?

[Jefferson] Bueno, como reunimos amigos apasionados por búhos, yo diría que no fue difícil conseguir expertos para escribir sobre cada especie, así como conseguir las fotos. Difícil fue llegar a las fotos, de varias que teníamos que elegir. Creo que el mayor trabajo fue garantizar que el libro no tuviera error, un trabajo minucioso de revisión de cada detalle del libro.

[Luiz] Afortunadamente no hubo dificultad relevante.

¿Cómo se organizaron las salidas para observación de búhos para realizar los registros fotográficos? ¿Cuál es la especie más difícil de conseguir un registro para el libro?

[Jefferson] Bueno, todos nosotros ya teníamos fotos de varias especies, no hicimos salidas específicas para el libro. Fue más un trabajo de seleccionar las fotos entre las que teníamos. Yo diría que la especie más difícil de ser vista / fotografiada es el autillo guatemalteco (Megascops guatemalae), por ocurrir en un lugar extremadamente remoto del país.

[Luiz] No fue necesario organizar las salidas para el libro. El grupo de amigos invitados tenía casi todas las fotos. Y una o dos que no teníamos fácilmente las conseguimos con otros fotógrafos.

¿Qué especies corren mayor riesgo de extinción?


[Jefferson] Mira, de acuerdo con el sitio Aves de Rapina Brasil no hay datos suficientes sobre el grado de riesgo que los búhos corren. En el caso de las 22 especies del libro, 20 se clasifican con el grado "Poco preocupante (LC)", una no tiene clasificación, y una, el cárabo brasileño (Strix hylophila), es clasificada como "Casi amenazada (NT)", el segundo grado de riesgo entre los 7 grados existentes .

¿Qué mensaje les gustaría dejar para los apasionados por búhos?


[Jefferson] Yo dejaría un mensaje no sólo para los apasionados por búhos, pero por la vida salvaje y la naturaleza en general: ayuden en la divulgación y educación ambiental. Si nosotros que amamos la naturaleza pudiéramos enseñar, un poquito que sea, estaremos haciendo nuestro trabajo para la preservación.

[Luiz] El mensaje es que los búhos son pájaros increíbles, cariñosos con sus parejas (hay fotos en el libro que muestran eso). Tiene gran utilidad para el ser humano, alimentándose de ratas, serpientes entre otros animales. No son en modo alguno agoreros, como todavía hoy se cree en el interior de Brasil. ¡Y una buena salida para observación de búhos es uno de los momentos emocionantes que valen la pena ser vividos!


Libro Corujas do Brasil

112 páginas – Precio: R$ 35,00 reais más envio

Pedidos por el e-mail: jeff.corujasdobrasil@gmail.com


Lea también la entrevista con Gustavo Pinto,

sobre el proyecto Mocho dos Banhados,

en la revista digital gratuita del

Corujando por aí. Descargue aquí.

Texto en Español, Portugués e

Inglés en el mismo pdf.

#educaçãoambiental #interviewentrevista #Corujasowls #Livros

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved