• Kátia Boroni

Índia busca um plano nacional de conservação de abutres



Os abutres estão ameaçados pelo uso indiscriminado de anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) no gado.


18 de Fevereiro de 2021.

Kátia Boroni I MTB: 002.0435/MG

Matéria baseada no original de Times of India, de 4 de Fevereiro de 2021



PANAJI: Goa (Índia) deu os primeiros passos na conservação de abutres que antes eram avistados no estado e desapareceram misteriosamente após os anos 1980, deixando os observadores de pássaros se perguntando sobre seu destino.


Em um movimento recente importante para ajudar os esforços de conservação, a diretoria de pecuária e serviços veterinários (AHVS) pediu ao departamento de administração de alimentos e medicamentos (FDA) a considerar a proibição do uso de cetoprofeno e aceclofenaco veterinários para o tratamento de animais de criação em Goa. Ambas as substâncias são remédios antiinflamatórios não esteróides (AINEs) e são usadas por veterinários para tratar dores, ferimentos e certas doenças em bovinos, caprinos e outros animais.


Os AINEs são considerados altamente tóxicos para abutres e raptores necrófagos e isso foi indicado em pesquisas que apontam para o declínio acentuado da população de três necrófagos, incluindo abutres no sul da Ásia. Na Índia, também, a queda drástica do número de abutres algumas décadas atrás foi documentada por pesquisadores.

Goa tinha uma pequena população dessas aves carnívoras, especialmente os abutres egípcios (Neophron percnopterus), que eram vistos principalmente perto do complexo da carne de Goa (GMC) em Usgao.


Eles eram conhecidos por se deliciarem com os resíduos do gado abatido despejados fora do complexo da carne. Esta prática já foi interrompida há algum tempo. Organizadores de excursões mostravam aos turistas o bando de abutres em seu dormitório - um aglomerado de árvores altas, perto do complexo no final dos anos 1980.


O pedido ao FDA vem após um relatório do departamento de pecuária e laticínios (DAHD) de Nova Delhi, depois que um pesquisador sênior da vida selvagem baseado no Rajastão, Dau Lal Bohra, fez uma petição ao governo central contra o uso veterinário de AINEs.

Recebemos uma comunicação do DAHD e nosso departamento enviou uma carta ao FDA para as medidas necessárias”, disse o Dr. Santosh Desai, diretor do AHVS.


O Centro elaborou um plano de conservação dos abutres (2020/ 2025) para reverter a extinção de três espécies altamente ameaçadas - o abutre indiano de dorso branco (Gyps Bengalensis), o abutre de bico fino (Gys tenuirostris) e o abutre de bico longo (Gyps indicus).




O súbito desaparecimento dessas aves de rapina, que são conhecidas por terem uma visão e olfato incríveis, ainda irrita os observadores de aves locais, já que uma classe inteira de aves desapareceu de Goa. “Os abutres não são encontrados em Goa e no resto da costa oeste da Índia. Aparentemente, eles se alimentavam de carcaças e restos de carne, que eram descartados ao ar livre atrás do complexo de carnes ”, disse Savio Fonseca, naturalista-chefe de uma empresa de turismo de aves.


Nos últimos anos, apenas alguns avistamentos foram registrados no estado. “Eles foram avistados em ghats ocidentais, especialmente Mhadei, até a introdução do diclofenaco (usado para tratar dores e doenças inflamatórias) na década de 1980, o que afetou a sua população. "O despejo de resíduos de carne a céu aberto também parou”, disse Prasanna Parab, uma observadora de aves. A Índia proibiu rapidamente o diclofenaco em 2006, após ficar evidente o impacto desastroso do seu uso que além de envenenar o gado, afetou as grandes aves de rapina que se alimentam de suas carcaças. DF


#diariodefalcoaria #falcoaria #avesderapina #abutres #urubus #india #conservação #aines #diclofenaco #envenenamento #animaissilvestres #noticiasfalcoaria #falconryjournal #conservationofbirdsofprey #necrofagos #birdsofprey


36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved