• Kátia Boroni

Criando Dongos e Mercóis



Muita gente me pediu para falar sobre a criação de dongos e mercóis, e por isso gravei o vídeo acima e trago aqui mais informações. Comecei a criar eles há mais de um ano, estas foram minhas primeiras ninhadas:

A criação de dongos e mercóis não é difícil, porém é necessário ter os equipamentos básicos, limpar com frequência as caixas de biotério, dar uma alimentação balanceada e assim você oferecerá uma nutrição adequada a sua coruja ou demais aves de rapina.

Caixas de Biotério


As caixas de biotério são a melhor escolha para criar roedores para alimentação. Primeiro porque elas não permitem fugas, segundo porque o alimento não fica em contato com as fezes, e terceiro porque permitem o uso de bebedouros de um litro ou até dois bebedouros por caixa, o que facilita nos cuidados. Para forração eu utilizo maravalha, que compro em fardos de 20 kilos.


Minhas caixas e os sacos de maravalha embaixo.

Matrizes

Eu recomendo comprar matrizes diretamente de um biotério, para que vocês tenham animais de qualidade e boa genética, que irão reproduzir adequadamente e terão uma ótima saúde. Minhas matrizes vieram do biotério de uma universidade da minha cidade, apenas um casal veio de um amigo que também cria e por isso são ratos de duas cores, o restante são todos albinos (brancos de olhos vermelhos).

Alimentação

Você deve dar a ração para roedores Labina, junto com ração de cão ou gatos (eles preferem a de gatos). É importante complementar a alimentação com grãos e vegetais, pois os ratos são onívoros e se você apenas fornece uma alimentação rica em proteína eles acabam tendo problemas de saúde. Eu complemento com milho, cenoura, jiló, folhas escuras variadas (couve, repolho e suas folhas, etc) de uma a duas vezes por semana. Sementes de girassol são dadas esporadicamente, já que são muito gordurosas.


Complementando a alimentação: jiló, cenoura e folhas de repolho.

Limpeza

É importante limpar as caixas uma vez por semana. Eu tenho caixas extras então eu já pego uma caixa limpa, coloco a forração e troco os ratos/dongos de caixa, um por um, segurando pelo rabo. Eu uso luvas para evitar que eles me arranhem, porque especialmente os mercóis que são muito fortes, podem dar “coices” quando os seguramos pelo rabo. Meus ratos não foram amansados, porém permitem o manuseio tranquilamente e nunca me atacaram. Como logo após a limpeza eles ganham alimento, e especialmente verduras, eles associam a limpeza com a recompensa, e, portanto não se importam com o manuseio.

Como escolher o que criar? Dongos ou mercóis?

A escolha deve ser levada em conta com a sua ave, com o seu espaço disponível para a criação, e até mesmo pela sua preferencia em termos de manuseio. Muitas pessoas acham os camundongos mais fáceis de criar por serem menores, outros preferem os ratos. Eu já criei os dois, e hoje estou apenas com caixas de mercóis por ser mais fácil seu manejo e pelo odor ser bem menor do que o das caixas dos camundongos.


A composição da urina dos camundongos é diferente, e, portanto o fedor é muito maior. A limpeza das caixas de camundongos deve ser feita duas vezes na semana para evitar o odor forte. Mesmo com menos de uma semana desde a última limpeza, se formam placas na maravalha que além de terem um odor forte normalmente aparecem larvas. Nas caixas de mercóis isto nunca ocorre, a forração fica cheia de fezes e urina, porém seca e sem larvas.

O manuseio dos dongos é mais complicado por eles serem bem pequenos e muito ágeis, então para quem não tem experiência fugas podem ocorrer. Os filhotes ao serem desmamados estão na fase “pipoca”, quando pulam se chocando na grade que tampa a caixa, por isso nunca se deve tirar a tampa, apenas levantá-la o suficiente para ir pegando um por um.

Por tudo isso eu recomendo a criação de mercóis, são mais fáceis de manusear, fazem menos sujeira e produzem mais carne mais rapidamente. Para quem tem corujas e querem oferecer o alimento inteiro, basta abater os filhotes de mercóis quando eles atingem o tamanho e peso de um camundongo adulto.

Reprodução

Eu mantenho duas fêmeas para cada macho de mercol e três fêmeas para cada macho de camundongo. Eu já consegui entre 9 a 12 filhotes para cada fêmea de mercol e entre 10 a 15 filhotes para cada fêmea de camundongo.


Filhotes de mercol

Abate

O abate que realizo é por deslocamento de cervical, lembrem-se sempre de abater de forma rápida e indolor. Depois eu coloco em sacos de congelamento e coloco no meu freezer. Eu tenho duas gavetas só para os ratos. Eu também coloco alguns dentro de vasilhas plásticas.

Mais informações

Se quiserem saber mais eu sugiro a leitura dos seguintes documentos em pdf de biotérios de universidades brasileiras, que explicam tudo sobre a criação de roedores, do ponto de vista científico:

http://www.ehow.com.br/criar-camundongos-alimentar-outros-animais-estrategia_162595/

http://pt.wikihow.com/Cuidar-de-Camundongos

http://books.scielo.org/id/sfwtj/pdf/andrade-9788575413869-16.pdf

http://www.fo.usp.br/wp-content/uploads/Manual-Cuidados-com-Animais.pdf

E não se esqueçam de curtir minha página no face: https://www.facebook.com/diariodefalcoaria/

E se inscreverem no meu canal no youtube:

https://www.youtube.com/channel/UCOyVnFsuIUE0OR16GZnjsJg?sub_confirmation=1

Beijos e até a próxima!

Kátia Boroni.

#alimentaçãofeeding #Corujasowls

938 visualizações

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved