• Kátia Boroni

DIÁRIO DE THOT: A ESCOLHA DO NOME



Diário de Thot: A escolha do nome

Oi Pessoal,

Depois de um ano de estudos, chegou a hora de ter a minha primeira ave. Minha escolha foi uma coruja de igreja, mais conhecida como Suindara (Tyto furcata). Fiz a reserva de um macho na Enfalco e ele deve nascer em Janeiro de 2016 e será enviado para mim em Fevereiro. A ansiedade é enorme, mas enquanto isso já preparei todo o equipamento para a minha coruja.

Para que todos possam acompanhar o desenvolvimento da minha coruja, estou criando a Seção do meu site chamada “O Diário de Thot”, e enquanto ele não chega, começarei falando de assuntos importantes antes da chegada da sua primeira ave.

Para começar, hoje explicarei porque escolhi o nome de Thot para a minha coruja, e qual o significado deste nome.

Abraços a todos e boa leitura!

Kátia Boroni

Thot: O Deus escriba da sabedoria

“Eu sou aquele que está no seu ninho, enquanto íbis venerável,

Thot é o meu nome”.

Goyon, Rituels, 259.

Eu queria um nome impactante para a minha coruja, especialmente porque ela será minha companheira na educação ambiental. Considerando que sou uma apaixonada por mitologia e egiptologia desde sempre, um nome egípcio faria todo o sentido, mas eu queria um nome que também tivesse relação com a espécie da ave escolhida.

Simbologia da coruja


Corujas são associadas à sabedoria graças a Mitologia Grega, já que a Deusa da Sabedoria e da Justiça Atena, irmã de Apolo, tinha como mascote uma coruja. De acordo com a lenda, a coruja era conhecedora dos segredos da noite, e revelava à Atena todos os seus segredos. Na Mitologia Romana Atenas corresponde à Deusa Minerva, Deusa das artes e da sabedoria, também representada por uma coruja. Os Nativos Americanos assim como os Gregos invocavam a coruja como um oráculo do conhecimento oculto com poder de clarividência.

Graças a mitologia Grega e Romana, a coruja se tornou o símbolo de vários cursos de graduação, como Letras, Filosofia e Pedagogia. Hoje as corujas são amadas por grande parte da população, mas ainda há aqueles que tem preconceitos e acreditam que elas sejam presságio de morte ou coisas do tipo.

Viajando da mitologia grego romana para a egípcia, que sempre me fascina, um dos meus Deuses favoritos é Thot, o Deus escriba, representado por um homem com cabeça de Íbis, mas também podendo aparecer representado por um babuíno.


“Os documentos informam que Thot reina na inteligência e no processo intelectual em geral. São –lhe atribuídas a escrita, as palavras divinas, a separação das línguas criando o gênio de cada raça, as leis, bases da vida em sociedade, os anais, documentos reais oficiais, os rituais e o calendário.” JACQ, Christian. 2001, p. 99

Sua esposa é Ma'at, a Deusa da justiça Egípcia, e ele e sua esposa eram os responsáveis em manter o equilíbrio do universo. Os Gregos o relacionavam com o Deus Hermes por seus atributos e funções similares.

Segundo Jack ele compartilhava seu conhecimento com os escribas, pesquisadores e magos, tornando-os hábeis em sua arte. O Livro de Horas cita as funções de Thot:


“Senhor da escrita, proeminente na moradia dos livros, possui o olho sagrado... coração de Rê, língua de Atum, guia dos Deuses que reduz tanta coisa, que reduz o tempo, chefe da justiça e vizir, mensageiro de Rê que exorciza os demônios, que põe tantas coisas no seu justo lugar, Thot que completa o Olho de Rê e o olho de Hórus”

Faulkner, an Ancient Book of Hours, 20,25 a 21, 5. Apud JACQ, 2001 p.99

Concluindo

Para uma mulher apaixonada pelo antigo Egito, graduada e pós graduada em Letras, com especial afeto pelas corujas, criadora e redatora de um site cujo objetivo é difundir a falcoaria no Brasil e compartilhar o conhecimento que vai adquirindo através do seu estudo sério e comprometido, que decidiu ter uma coruja para contribuir na educação ambiental, o nome Thot é perfeito e resume bem a essência de sua dona e de seus objetivos.

Agora é aguardar que Thot chegue e ilumine a todos nós, como a Lua ilumina a noite...

Veneremos e aclamemos o Deus do conhecimento (Thot).

Fiel da justiça no coração da balança.

Ele afasta o mal e acolhe o homem que se afastou

Das ações desarmoniosas.

Ele é o juiz que pesa as palavras,

Que acalma as tempestades,

Que dá a paz,

O escriba em função que preserva o

envoltório do segredo,

Pune o criminoso,

Acolhe o homem obediente,

Ele é aquele que tem o braço eficaz,

O sábio no coração da Enéada,

Aquele que faz lembrar o que se havia esquecido,

Aquele que aconselha o desgarrado,

Aquele que preserva o instante,

Que descreve as horas da noite,

Aquele cujas palavras duram eternamente.

Estátua de Horemheb

Museu metropolitano de Nova York

Referências:

JACQ, Christian. O Mundo Mágico do Antigo Egito. Rio de Janeiro, Editora Bertrand Brasil . 2001

Faulkner, an Ancient Book of Hours, 20,25 a 21, 5. Apud JACQ, 2001 p.99

#DiáriodeThot #ThotsDiary #tytofurcata

40 visualizações

Kátia Boroni é jornalista, e escreve sobre Falcoaria, aves de rapina e

Educação ambiental para os sites Diário de Falcoaria e Corujando por aí. 

 

Kátia Boroni is a journalist, and writes about Falconry, birds of prey and environmental education for the websites Diário de Falcoaria and Corujando por aí.

Webmaster: Kátia Boroni 2015

 MTB: 002.0435/MG