• Kátia Boroni

O Diário de Sophia



“A coruja de Minerva alça seu vôo somente com o início do crepúsculo”. Friedrich Hegel

O diário de Sophia

Olá pessoal,

Hoje inauguro o Diário de Sophia, onde vocês poderão acompanhar o dia a dia do amansamento e treinamento dela.

Primeiro quero esclarecer que eu tinha pedido uma coruja macho para o criador Ronivon Vianna da Enfalco, porém ele se enganou e me mandou uma coruja fêmea, e por isso o Thot virou Sophia.

Como os filhotes são enviados até com 45 dias de vida para seus compradores, não é possível fazer o exame de sexagem para determinar o sexo do filhote, e estes erros acabam sendo comuns. No caso da minha coruja, a carinha dela é super branca, sendo que o normal para as fêmeas é que a cara seja bege. Porém uma semana depois que ela chegou, após cair bastante penugem e começar a aparecer as penas do peito e da parte inferior da asa da cor bege, ficou claro que é uma fêmea. Para comprovar o peso dela está alto demais para um macho.


Mas não tem problema, Sophia é uma coruja muito amada e será perfeita para a Educação Ambiental. Em breve chegará o Thot para fazer companhia a ela.

A escolha do nome

Quando pensei pela primeira vez em ter uma coruja, já imaginava chamá-la de Sophia, nome que sempre me agradou pelo seu significado especial.

Sophia (em grego: Σοφία) é um nome de origem grego assim como o meu, e significa Sabedoria. É dai que vem o nome da Filosofia (do grego Φιλοσοφία, literalmente «amigo da sabedoria» ou «amor pelo saber). Na época da minha primeira graduação em Letras na PUC-MG eu me apaixonei pela Filosofia tanto pelas aulas que tínhamos no meu curso, quanto nas palestras que participei do curso de Filosofia, especialmente as de Friedrich Nietzsche. Um dos meus livros favoritos do escritor Norueguês Jostein Gaarder é precisamente o Mundo de Sofia, um romance que ao narrar a história de uma menina chamada Sofia, nos conta a história da Filosofia e seus principais conceitos e Filósofos.

Além disso, corujas também fazem parte da Mitologia Grega, já que a Deusa Atena (ou Minerva) era conhecida como a Deusa da sabedoria, da guerra, das artes, da estratégia e da justiça (me lembra minha Deusa Egípcia favorita, Maat). Atena, filha de Zeus, estava sempre acompanhada de uma coruja, que muitos a chamam de Sophia pelo significado de seu nome.

O filósofo alemão Friedrich Hegel em sua obra Filosofia do Direito diz sobre a coruja de Atena: “A coruja de Minerva alça seu vôo somente com o início do crepúsculo”

Pelo seu significado a coruja se tornou o símbolo dos cursos das áreas de humanas como Filosofia, Letras e Pedagogia. Desde antigas civilizações até os dias de hoje, esta ave de rapina já povoam nosso imaginário e nossas histórias.

Na verdade não sei bem porque decidi pedir um macho ou invés de uma fêmea, Thot é um Deus Egípcio muito importante para mim, mas de qualquer forma Sophia veio e cumprirá seu papel de disseminadora de conhecimento, desfazendo mitos negativos e contruindo novos paradigmas relacionados à sua espécie.

A definição do nome Sophia na Wikipedia é:

Sophia (em grego: Σοφία) é um conceito presente na religião e filosofia helenística, Platonismo, Gnosticismo, Cristianismo Ortodoxo, Cristianismo Esotérico e no Cristianismo místico. Significa, literalmente, a que detém a "sabedoria" (em grego: σοφός; "sofós"). Na tradição gnóstica, Sophia é uma figura feminina, análoga à alma humana e simultaneamente um dos aspectos femininos de Deus. Os gnósticos afirmam que ela é a sizígia d eJesus (veja a Noiva de Cristo) e o Espírito Santo da Trindade. Ocasionalmente é referenciada pelo equivalente hebreu Achamōth (emgrego: Ἀχαμώθ) e como Prouneikos (em grego: Προύνικος, "A Libidinosa"). É considerada ainda como a responsável pela criação do mundo material, ou uma das responsáveis, dependendo da tradição gnóstica.


Personificação da sabedoria (em grego:Σοφια - "Sophia") Na Biblioteca de Celso, em Éfeso, Turquia

27/02/2016 - Thot chegou!! (era Thot, virou Sophia)

Depois de mais de seis meses de uma longa espera, finalmente minha coruja macho Thot chegou (para tudo, até este dia eu achava que era macho, mas vocês já sabem que na verdade é uma fêmea chamada Sophia!)

Fui à Gollog as 21 horas buscá-lo, e quando abri a caixa para ver se ele estava bem levei um susto com o seu tamanho, achei que ia receber uma bolinha de plumas brancas e veio um franginho já bem emplumado!

Chegando em casa fui tentar tirá-lo da caixa de transporte e colocá-lo na caixa ninho e ele só fazia display e tentava me atacar. Fiquei assustada porque confesso que pensava que por serem imprintadas, as corujas filhotes chegavam mansas. Decidi deixar ele dormir na caixa e no dia seguinte eu o tirei, com muita dificuldade.

Deixei dois ratos picados em uma vasilha dentro da caixa (e ele me atacou quando eu a coloquei) e só depois de horas que ele foi comer. A noite meu tutor veio me ajudar a manuseá-lo e a começar o seu amansamento.

Só para ilustrar o que é display, aqui tem um vídeo recente de Sophia quando se assustou com o papel higiênico (fala sério, filhotes de tyto de uma hora pra outra implicam com as coisas mais banais, mas como vocês podem perceber pelo vídeo que não dura muito tempo o susto).

Todas as corujas fazem display, e elas abaixam a cabeça, abrem as asas e batem o bico. Quanto maior a espécie da coruja mais assustador é este momento. Quando é uma coruja selvagem ela vai atacar com toda a sua ira, no caso de uma imprintada ela só faz para se proteger e ao perceber que não era nada, simplesmente para com o show hahaha


28/02/2016 - Aprendendo a manusear o filhote

Um dia depois da chegada da minha coruja, que eu achava ser macho e se chamava Thot, meu tutor Mateus Maia veio na minha casa me ensinar como manusear o filhote que estava ainda muito bravo e não aceitava a aproximação de ninguém. É um aprendizado extremamente importante, visto que o filhote é frágil e não podemos deixá-lo cair no chão ou então ele pode quebrar as penas das asas e inclusive morrer com hemorragia.

O mais importante é não ter medo da coruja, e confesso que para uma marinheira de primeira viagem isso não foi fácil. É importante deixar que ela te bique e nunca tirar a mão, para que ela não aprenda que basta bicar para você se afastar. Agradeço ao meu tutor pelo aprendizado!


29/02/2016 - Primeira alimentação

Hoje dei a primeira alimentação à Sophia no meu colo, usando a pinça. O processo de alimentar na mão é muito importante para amansar o filhote de coruja e para criar um vínculo comigo. Ela comeu dois camundongos e se comportou muito bem.


04/03/2016 - Primeiras visitas

Hoje a Sophie recebeu as suas primeiras visitas, meu tutor Mateus Maia, sua loba Bela e meu pai José Geraldo. Foi a primeira vez que ela andou no chão pela sala e viu um cachorro.

05/03/2016 - Esconde esconde

Hoje foi o primeiro dia dela livre na varanda, que é toda fechada de Blindex. E ela resolveu se esconder pulando pra cima do vaso e ficando atrás das folhas.

Brincando com o ratinho de pano


Alimentando na luva

Seguindo os conselhos de meu tutor, estou alimentando na mão para amansar a coruja e criar um vínculo com ela. Muitos são contra esta forma de alimentação por acharem que irá causar um imprint piador. Na verdade essa controvérsia ocorre porque nas demais aves de rapina diurnas realmente alimentar na mão produz consequencias desastrosas de comportamento. Porém as corujas são diferentes, vide a entrevista da grande Falcoeira e especialista em corujas Jemima Parry Jones aqui no site.

Estou só alimentando Sophia na luva, sempre variando os ambientes, e no momento prefiro alimentá-la na minha varanda. A cada dia eu aumento a dificuldade para conseguir o alimento. Hoje dia 13/03 para ganhar os primeiros pedaços de rato ela tem que andar uma pequena distância e subir na luva, repito isso umas quatro vezes e ela tem respondido bem. Depois eu a mantenho na luva e a alimento.

O importante para evitar o piado excessivo é passar a maior parte do tempo possível com a coruja, e não ver ela só no momento de alimentá-la. Além disso, nunca alimentar no poleiro já ajuda muito. Também é interessante que outras pessoas a alimente para evitar que ela veincule a comida apenas a uma pessoa.


09/03/2016 - Primeiro Selfie

Hoje fiz o primeiro Selfie com a Sophia. Antes ela ainda estava muito brava e não podia aproximá-la do meu rosto. Agora vocês percebem como ela está mansa e sociável.

10/03/2016 - Conhecendo o poleiro e começando a brincar com meu pé

Ontem eu recebi um novo poleiro em arco para a Sophia, e hoje eu coloquei o astroturf e apresentei o poleiro a ela. Ela adorou e se divertiu. Ainda não está subindo nele sozinha, mas é questão de pouco tempo para isso acontecer.


De manhã cedo quando tirei ela da caixa e a soltei na varanda, ela resolveu atacar o meu pé e dar bicadinhas de leve! A tarde ela resolveu brincar com a minha mão, dando bicadinhas e segurando meus dedos com sua patinha. É a forma dela brincar e interagir comigo. Isso prova que o imprint está sendo feito corretamente.


Crescimento da Sophia

Expelindo a egágropila


Se já deu hora de alimentar a coruja, mas ela pega a comida e segura nas garras e com o bico, mas não engole, é porque ela ainda não expeliu a egágropila ( massa de matéria não digerida do alimento de aves que algumas espécies regurgitam ocasionalmente). Consegui filmar o momento que ela a expele e logo em seguida começa a comer. A Sophia normalmente expele a noite a egágropila, mas como estes ratos são adultos e tem mais pelo, ela acabou formando uma hoje mais cedo.

12/03/16 Ensaiando os primeiros voos.

E Sophia continua crescendo e já ensaia seus primeiros saltos. É incrível como crescem e emplumam rápido. Nem parece a mesma coruja cheia de penugem que chegou há duas semanas! Coloquei estes pedaços de troncos e ela adorou.



Ela também gostou da bola de tênnis.


13/03/16 Empoleirando

Sophia tem três poleiros, um tradicional com corda da Artezanato Cetrero, um desmontável que coloquei astroturf da ABFPAR e um de parede da Cetrería Maia. Por enquanto só apresentei os dois primeiros para ela, sem atrelar. Ela já aprendeu a voar de um poleiro para o outro!


17/03/16 Atrelando

Depois das peripécias que vocês viram que Sophia tem feito, voando de poleiro a poleiro e para cima do sofá, chegou a hora de atrelar ela.

Para atrelar uma ave de rapina é necessário colocar braceletes, jesses, destorcedor e leash. Eu e meu tutor trocamos os braceletes que vieram já na coruja porque ela já os tinha bicado bastante, e colocamos novos braceletes removíveis. Depois foi só colocar jesses largas, o destorcedor e o atrelador (leash) e pronto, ela já pode ficar atrelada na luva e no poleiro de arco. Na luva ela se equilibra bem e não reclamou, no poleiro ela ficou um pouco agitada tentando romper as jesses e braceletes, o que não aconteceu. É importante verificar os equipamentos todos os dias para ver se não tem nada danificado. Seguem as fotos do momento especial:



Por hoje é isso, pessoal. Até a próxima!

Beijos,

Kátia.

#DiáriodeSophia #diariodefalcoaria #tytofurcata #Corujandoporaí

95 visualizações

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved