O que a coruja

é para você?

Bruxa ou vida?

Esta pergunta foi respondida ao longo das eras, tanto de maneira positiva quanto negativa. Desde 2016 o Corujando por aí promove a campanha #corujaévida para acabar com o preconceito que ainda existe contra as corujas. E a campanha #corujaévida de 2020 começa com a SABEDORIA.

Porque a Coruja é Sabedoria?

Na mitologia Grega a Deusa Athena era considerada a Deusa da Sabedoria, e sua mascote era uma corujinha da espécie Mocho-galego (Athene noctua). Por conta desta associação, a coruja passou a ser utilizada como símbolo do conhecimento, sabedoria, perspicácia e erudição em todo

o mundo ocidental.

Na foto, nossa coruja Sophia,  

que em grego (Σοφία) significa Sabedoría.

Mas antes mesmo de Athena, outra Deusa já usava a coruja como seu símbolo. A Deusa Egípcia Neith, a primeira Deusa do Panteão Egípcio, a criadora do Universo e de tudo o que o compõe, também tinha a coruja como sua mascote. A coruja está presente inclusive na escrita do antigo egito,  ela é a representação do hieróglifo da letra M.

Leia mais sobre as corujas no antigo Egito aqui:

www.diariodefalcoaria.com/post/corujasnoantigoegito

#corujaévida2020 #corujandoporai #corujandoporaiea #educaçãoambiental #corujas #simbologia #arquétipos #corujaésabedoria #conhecimento #athena #mitologiagrega #mitologiaegípcia #egiptologia #neith #sophia #loveowls

Porque a Coruja é Prosperidade?

Podemos começar a explicar isso no Hinduísmo, com a Deusa da prosperidade Laskhmi. Acho que os corujitos conhecem este nome, não é? Laskhmi é uma de nossas corujas de igreja, e ganhou o seu nome exatamente em homenagem à Deusa Hindú.

Lakshmi é a Deusa da riqueza da mitologia Hindu, consorte do Deus Vishnu, que juntamente com os Deuses Brahma e Shiva formam a trindade da Divindade Hindu, conhecida como Trimurti.

 

Na foto, nossa coruja Laskhmi, que em sânscrito significa a energia da abundância.

Muitos creem que ela simbolize a riqueza material, mas o estado supremo da abundancia é o amor, e por isso ela simboliza tudo de bom que existe: a beleza, a saúde, a família, bens materiais, esperança, poder, sucesso, etc. Lakshmi é normalmente representada com a flor de lótus e seu veículo, ou “Vahana” é uma coruja de igreja.

Para saber mais sobre a Deusa Laskhmi leiam:

 www.diariodefalcoaria.com/post/lakshmi

Contudo, a prosperidade que a coruja de igreja traz ao homem vai além da religião ou do simbolismo, está também ligada à agricultura. A coruja de igreja é considerada uma das aves mais úteis do mundo, no que se refere à economia do homem, ao fazer o controle natural de roedores nas lavouras. Isso se dá ao fato de que as suindaras são especializadas na caça de pequenos roedores e tem um metabolismo muito acelerado, uma família delas pode comer até 1000 ratos em um ano! Por isso elas são consideradas “amigas dos agricultores”. Há inúmeros projetos ao redor do mundo que utilizam as corujas de igreja no controle natural de roedores. 

Controle natural de roedores nos cultivos de arroz da Indonésia

www.diariodefalcoaria.com/post/corujasnaagricultura

Porque a Coruja é Equilíbrio?

Na foto, nossa coruja Thoth (em egípcio Dḥwtj)  o deus egípcio do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia

As corujas, em especial as suindaras,

são importantíssimas para o equilíbrio ecológico, pois controlam pequenas populações de animais.

 

Além disso, também são presas de outros predadores, inclusive de outras espécies de coruja e aves de rapina diurnas. Proteger as corujas de igreja

é proteger o equilíbrio da natureza.

Fazendeiros ao redor do mundo estão cada vez mais interessados no uso das corujas de igreja (Tyto alba/furcata) para o controle natural de roedores. As suindaras são uma alternativa muito eficiente e ecologicamente correta, ao contrário do uso de venenos e armadilhas. As suindaras consomem duas vezes mais alimento do que outras espécies de corujas, em comparação ao seu peso.

Elas são capazes de cobrir 100 acres (0.4 km2) todas as noites em busca de comida. Um único filhote de suindara é capaz de consumir 25 mil ratos por ano. Elas são normalmente vistas em campos agrícolas e se refugiam em celeiros, daí o seu nome em inglês barn owl (coruja de celeiro).

Bibliografia

Porque a Coruja é Proteção?

Algumas culturas veem a coruja como um símbolo de proteção, mas são elas quem precisam de proteção.

As corujas sofrem com a degradação do seu habitat, com a interferência humana, com a mudança climática, mas acima de tudo com o uso descontrolado de raticidas.

Na foto, nossa coruja Osíris que significa “sopro (espírito) criador”. No Antigo Egito, Osíris era

a personificação do Sol e vivia em uma luta eterna contra Seth, o princípio das trevas.

De acordo com o projeto Raptors are the solution, mesmo os venenos vendidos como “seguros” causam danos à vida selvagem, sendo que estudos encontraram vestígios de raticidas em diversas espécies de animais nos EUA, como raposas, coiotes, pumas, linces, além de aves de rapina diurnas e noturnas. O veneno de ratos mata dolorosamente e lentamente tanto os roedores quanto os animais que se alimentam deles. Há outras formas de se controlar os roedores, sem causar danos ao meio ambiente. 

Veneno não! Saiba outras formas de controlar os roedores

www.diariodefalcoaria.com/post/venenonao

Saiba mais sobre o projeto RATS

www.raptorsarethesolution.org

Porque a Coruja é Espiritualidade?

No xamanismo as corujas são vistas como arquétipos, ou como um animal de poder.

São ligadas à espiritualidade e à mediunidade.

 

O xamanismo é uma crença espiritual/religiosa que busca a força interior e o reencontro dessa com os ensinamentos da natureza. Para os adeptos do xamanismo, a cura para todos os males está dentro de cada ser e por isso ninguém pode curar ninguém e sim a pessoa cura a si mesma.

Na foto, nossa coruja Verbena, cujo significado

do nome vai muito além de uma flor

Os poderes da coruja são a clarividência, a projeção astral e a magia.  Na essência, a coruja vê o que os outros não veem e podem ter mais percepções sobre outras pessoas do que de si mesma.   Desta forma, o poder da coruja pode fazer com que uma pessoa olhe para si mesma, em busca de uma visão mais íntegra a respeito de si ou de aspectos que ainda aparecem obscuros e precisam ser vistos. (...)  No Xamanismo Ancestral, existe o Clã da coruja, que rege o elemento ar, ela é a passagem para o desconhecido e está ligada à verdadeira alquimia.”

Márcia Fernandes.

A simbologia da Verbena

 Uma erva e também uma flor, a verbena era considerada sagrada por muitas culturas que a consideravam uma planta de mistério e encantamento.

 

 

No Egito, era um símbolo das lágrimas de Ísis. Os sacerdotes gregos a carregavam nas vestes e a usavam para purificar os altares de Zeus. Os druidas celtas e os antigos persas acreditavam que a verbena não apenas purificava como também favorecia as visões e a adivinhação. As igrejas cristãs

a usavam na preparação da água-benta.

Sendo uma das ervas celtas mais sagradas, a verbena era colocada nos altares como uma oferenda. Queime-a para repelir o ataque psíquico. Ela também é usada para purificar, atrair riqueza e se encontrar o amor. Blog Um por tudo.

Campanha #corujaévida2020

O objetivo desta campanha é ressignificar a imagem da coruja, sua simbologia, acabando assim com qualquer preconceito que as pessoas ainda tenham em relação a elas. 

 

Obrigada por acompanharem nossa campanha! Compartilhem este conhecimento, ajudem as corujas! Bicadinhas!

Campanhas anteriores

Webmaster: Kátia Boroni I  MTB: 002.0435/MG

Copyright © 2015-2020 - Diário de Falcoaria - All rights reserved